Hábitos alimentares saudáveis transformam vidas

Uma alimentação saudável influencia totalmente na saúde e no bem-estar das pessoas. É o que aponta a coordenadora do curso de Nutrição da UniRitter, Jacqueline Schaurich dos Santos. A busca por hábitos saudáveis é uma espécie de terapia. “Podemos recuperar e minimizar alguns desconfortos em função de algumas doenças que o paciente possa ter. É possível se prevenir, por exemplo, de diabetes, hipertensão e algumas enfermidades cardiovasculares”, diz.

Dentro dos bons hábitos alimentares, se encontra a temida dieta, que perdeu espaço para o plano alimentar, que é uma distribuição de alimentos de forma saudável, sem tantas restrições. “Anteriormente, o paciente realizava a dieta por um breve período, atingia os resultados desejados e, logo após, desistia. Hoje em dia, os nutricionistas trabalham com esse cuidado na reeducação alimentar. Assim, a pessoa consegue perder peso, tendo mais saúde de maneira progressiva e contínua”, comenta.

O sucesso da alimentação saudável está atrelado principalmente a uma composição adequada. “Não é somente se preocupar com a quantidade, mas também com a qualidade da alimentação. Muitas pessoas acreditam que, o alimento por ser natural, pode ser consumido à vontade. Um suco de laranja tem alto valor de calorias, logo não podemos tomá-lo à vontade. Por isso, é preciso buscar a sensação de saciedade, que pode ser mantida por meio da ingestão de alimentos em pequenas quantidades e distribuída em várias refeições durante o dia”, indica Jacqueline.

Para este período de estações mais quentes, na maioria dos casos, é o momento em que as pessoas tendem a ter um maior cuidado com a alimentação e o corpo. Para isso, a professora informa que é importante que seja ingerida uma alimentação à base de frutas e vegetais. “Além disso, o consumo de alimentos integrais são recomendados, pois possuem um baixo índice glicêmico e evitam o acúmulo de gordura na região abdominal. Para diminuir o índice glicêmico de alguns alimentos, como por exemplo a tapioca, podemos acrescentar ovos que são ricos em proteína ou cereais como a linhaça e a chia”, recomenda.

Alunos ajudam na reeducação alimentar da comunidade

Com um compromisso social, todas as terças-feiras, os alunos do curso de Nutrição da UniRitter estão ajudando a modificar os hábitos alimentares de muitas pessoas por meio de atendimentos nutricionais gratuitos. Nas consultas, os estudantes realizam exames físicos, avaliação antropométrica (composição corporal) e investigação alimentar. Os atendimentos ocorrem no Centro de Atendimento à Comunidade da UniRitter no Campus Zona Sul.

A aluna do 7º semestre do curso de Nutrição, Lara Franklin da Silva, 23 anos, comenta que o atendimento ajuda no desenvolvimento dela como profissional e também das pessoas que eles recebem.

No caso da sua colega de graduação, Brenda Ducatti, de 22 anos, esta é a primeira experiência com o atendimento clínico. “Gosto muito da área da antropometria e adorei fazer as medidas das dobras cutâneas da paciente. Fui questionada sobre a quantidade de calorias nos alimentos. Na realidade, o que as pessoas precisam mesmo se preocupar é em relação à composição dos alimentos, que fazem muita diferença para um hábito saudável”, informa.

Atendida por Brenda, a doméstica Elenice de Oliveira Lima, de 48 anos, aprovou o atendimento e mostrou-se otimista com a sua meta. “Achei bem interessante as informações que ela passou. Certamente, vão me ajudar a emagrecer de forma adequada”, comenta.

Já para o paciente José Vicente Dilélio de Lima, aposentado, de 72 anos, fala das suas expectativas sobre o atendimento nutricional.

MITOS X VERDADES

– Comer carboidratos à noite engorda?

Depende da quantidade de alimentos que vamos consumir. Se fizermos ingestões de grandes volumes, certamente engordaremos. Mas se tivermos um controle na quantidade e, na escolha do tipo de carboidrato, no caso, os integrais, a resposta é muito mais positiva e, consequentemente, é possível ter o controle no ganho de peso.

– Misturar dois tipos de carboidratos na mesma refeição é prejudicial?

Vai depender de qual é o objetivo da pessoa. Quando é redução de peso, a indicação é utilizar um alimento representante do grupo dos carboidratos (cereais ou vegetais do Grupo C) por refeição. Se pensar em carboidratos, os legumes  são uma opção. Por isso, depende da classificação do carboidrato, do valor de calorias que possui. O ideal é ter um representante dos grupos dos cereais, um das leguminosas e vários vegetais.

Já no caso dos vegetarianos/veganos, há necessidade de se fazer a mistura de vários carboidratos na mesma refeição. Dentro dos carboidratos, encontramos as leguminosas e os cereais e a combinação destes na mesma refeição ofertam aminoácidos essenciais que não são produzidos em nosso organismo e, por isso, precisamos recebê-los por meio dos alimentos. Aqueles de origem animal possuem em sua composição todos estes aminoácidos, o que não acontece de forma individual nos cereais e leguminosas.

– Doces devem ser banidos do cardápio?

Não precisamos banir radicalmente da nossa alimentação e sim buscar alguns doces mais saudáveis. Hoje em dia, existem várias receitas simples e saudáveis de bolos, mousses e muffins, que podemos utilizar e que são saborosos e atrativos, que provocam a saciedade. É claro que, no dia a dia, o doce deveria ser substituído pela fruta, o que seria o ideal.

– Beber durante as refeições é prejudicial?

Ingerir líquidos durante as refeições aumenta o volume do estômago, que é um músculo que vai cedendo. Quanto maior for o volume, maior esse órgão vai ficando. Consequentemente, isso vai gerando uma necessidade cada vez maior de uma ingestão de alimentos. Desta forma, corre-se o risco de começarmos a desenvolver o excesso de peso e a obesidade. O ideal é que não façamos a ingestão de líquidos junto com as refeições. O que é recomendável é que se beba algo antes ou uma hora depois ou que tomemos apenas pequenos goles de água ou de suco para evitar que se tenha um grande aumento do volume gástrico.

– Pular refeições engorda?

Quando temos o hábito de fazer cinco ou seis refeições por dia, mantemos o organismo em funcionamento e, com isso, o gasto metabólico será constante. Conseguimos então controlar a oferta e a demanda de calorias por meio dos alimentos e do fracionamento das refeições. Ainda, quando pulamos uma refeição chegamos com muita fome na próxima, fica muito mais difícil controlar a quantidade e a qualidade dos alimentos ingeridos, contribuindo desta forma para o ganho de peso.